Sintracal emite nota sobre morte de trabalhador da Ramarim e apela por segurança

O Sintracal – Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras nas Indústrias e Fabricação de Calçados e Componentes da Bahia, vem por meio desta nota lamentar pelo ocorrido nesta segunda-feira, 16 de janeiro, quando um trabalhador foi morto e uma trabalhadora foi baleada nas dependências da fábrica de calçados Ramarim, em Jequié, no horário do almoço.

Que Deus possa confortar familiares e amigos de Valter Souza Brito Filho e reiteramos nossa indignação com a falta de segurança que se instalou em nosso município, em tempo que cobramos das autoridades a elucidação do crime o mais rápido possível.

O Sintracal tem cobrado constantemente dos patrões e das autoridades por mais segurança e policiamento ostensivo no sentido de garantir a integridade dos trabalhadores e trabalhadoras da Ramarim.

Logo quando tivemos conhecimento do fato, o Vice-Presidente do Sintracal, Jurandi Souza, respondendo pela entidade, uma vez que a Presidenta Jeane Costa está em viagens tratando de negociações coletivas dos trabalhadores e trabalhadoras, fez total esforço reivindicando a paralisação da fábrica em protesto ao ocorrido e também para que os colegas da vítima pudessem participar de velório e sepultamento, não obtendo êxito. Os mandatários da fábrica, insensíveis, não atenderam a nossa reivindicação. Consternados, o Sintracal, juntamente com o conjunto dos trabalhadores e trabalhadoras repudiam a atitude cruel e sem compaixão dos mandatários da fábrica de calçados Ramarim.

Mesmo assim, acreditamos que não podemos nos conformar com essa situação e por isso pedimos mais uma vez aos patrões e ao poder público que nos ajude nessa luta, por uma sociedade de segurança e paz. Continuaremos acompanhando o caso e à frente da luta e defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras.

Atenciosamente,

JEANE COSTA
Presidenta do Sintracal

Assessoria de Imprensa / Sintracal

SHARE