Menina de 7 anos some na porta de casa em Feira de Santana

A menina de 7 anos, Gabrielly Gomes Santana, desapareceu quando estava na porta de casa no residencial Solar da Princesa, no bairro Gabriela, em Feira de Santana, cidade a cerca de 100 quilômetros de Salvador.

O caso ocorreu no sábado (21), mesmo dia em que a família da criança procurou a delegacia e registrou o desaparecimento.

O caso é investigado pela Polícia Civil. Segundo a delegada Dorean dos Reis Soares, a polícia já possui uma linha de investigação, mas ainda não quer adiantar detalhes para não atrapalhar o caso. Ela informou ainda que duas equipes de investigação estão na apuração.

Segundo relato da avó da criança, Maria da Glória Costa Gomes, uma testemunha relatou ter visto um carro rondando casas no local. “Uma vizinha aqui disse que viu um carro prata perto da minha casa, mas ela [a vizinha] entrou em casa e quando saiu não viu mais o carro”, disse Maria Glória  nesta segunda-feira (23)

Ainda de acordo com a avó, assim que a menina sumiu, ela e a filha, a mãe da criança, foram à delegacia registrar a ocorrência. Maria relatou que a neta sempre brincava na porta de casa com as amiguinhas, mas que no dia do desaparecimento ela brincava sozinha.

“Eu fiquei de olho nela, mas em um momento fui lavar o banheiro e disse: ‘não saia daí, não vá na casa de ninguém’. Quando saí na porta, não a encontrei e fui na casa das vizinhas que ela costuma brincar. Quando cheguei, as crianças estavam dormigo e, em algumas casas, a família nem estava. Foi aí que vimos que ela tinha desaparecido. Estamos desesperados”, relatou a avó.

Maria também disse que Gabrielly mora com ela desde quando ainda tinha dois anos. Segundo a dona de casa, a filha tem outros dois filhos e trabalha, por isso a neta fica com ela. “A gente mora aqui há uns dois anos, antes a gente estava no bairro Mangabeira e nunca vi isso acontecer. Ela brincava e a gente ficava de olho. Creio que vou achar minha neta”, disse a avó esperançosa.

Sobre as suspeitas do que teria ocorrido, Maria conta que não sabe o motivo pelo qual levaram a neta dela. Os pais de Gabrielly são separados, mas o pai é bastante presente na rotina da criança e a guarda é compartilhada. O pai de Gabrielly, inclusive, contratou um carro de som como forma de encontrar a garotinha.

“A gente não recebeu qualquer ameaça, ligações suspeitas, nada! Aqui [o residencial] é um lugar tranquilo, todo mundo do bem. Eu não tenho o que me queixar dos meus vizinhos. A família toda está se perguntando porque aconteceu isso”, disse. Até a publicação desta reportagem, a criança não havia sido encontrada.

SHARE