Jequié: Prefeitura entrega mochilas maiores que os alunos e vira piada na internet

Uma situação inusitada ocorreu em Jequié na última sexta-feira (5). A prefeitura local entregou kits escolares para alunos da rede pública de ensino contendo mochila, estojo, lápis, caneta e borracha. Até aí tudo bem. Só que quando as crianças menores foram experimentar os novos acessórios algo curioso aconteceu:

Aparentemente, o tamanho único do apetrecho não foi pensado para as crianças mais novas, que literalmente “cabem” nas mochilas. A internet não perdoou e a foto da criança já foi compartilhada em grupos do Facebook. “Vocês que não entenderam. Mochila para crianças é na verdade mochila para GUARDAR crianças”, disse uma internauta.

Em outro comentário falaram: “Acho que era para botar as crianças dentro com a cabecinha para fora e alguém levar, porque não é possível”. A prefeitura não comentou sobre o caso, mas divulgou a entrega dos kits no Facebook.

Em nota enviada à imprensa, a Secretaria de Educação de Jequié informou que as mochilas distribuídas foram licitadas antes do término das matrículas e, por isso, tiveram que ser padronizadas. A assessoria de comunicação da prefeitura informou, por telefone, que inicialmente não estava prevista a distribuição dos kits para as crianças pequenas da creche, mas professores, diretores e a própria secretaria se reuniram e decidiram fazer a entrega também para os alunos menores.

Na nota, a secretaria afirma que tomou a atitude de também distribuir as mochilas para os alunos das creches para evitar qualquer tipo de discriminação, principalmente com as crianças menores, “prevalecendo assim o cuidado e a satisfação em ver a alegria das crianças e da família ao receberem as mochilas”.

A Secretaria de Educação ainda afirma que entende que “deve prevalecer o bom senso de todos os envolvidos na utilização dos materiais distribuídos, cabendo principalmente aos pais ou responsáveis utilizarem as mochilas para transporte do material das crianças, lembrando ainda que o Ministério da Saúde recomenda que o peso transportado pelo aluno não ultrapasse em mais de 10% do peso da criança”, disse, em nota, o secretário de Educação Roberto Gondim.

SHARE