Informações sobre o avião que caiu com Teori Zavascki foram pesquisadas mais de 1800 vezes dias antes do acidente

Dezesseis dias antes do acidente que matou o ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal), a foto do avião que caiu na quinta-feira (19) em Paraty, no Rio de Janeiro, foi consultada 1.885 vezes no site JetPhotos, que reúne grande banco de imagens de aeronaves de todo o planeta. O que poderia explicar esse número alto de busca? Isso ainda terá que ser investigado.

O número de visualizações da imagem do avião com o qual Teori caiu em Paraty, por si só, não significa muita coisa, mas o que chama atenção, porém, é a comparação com os dias anteriores: entre os dias 20 de dezembro do ano passado e 2 de janeiro deste ano, a procura foi significativamente inferior – somente cinco acessos. No dia 3 de janeiro, um inexplicável ‘boom’: 1.885 consultas.  De 4 de janeiro até ontem, nenhum acesso.

A pergunta que fica é: por que a foto da aeronave teve tantos acessos pouco mais de duas semanas antes do acidente? Quem estaria tão interessado em saber mais sobre o avião em que viajaria o ministro relator das ações da Operação Lava Jato no STF?

Uma coisa é certa: Teori era conhecido pelo seu notório saber jurídico e por não ceder a pressões de partes interessadas em processos por ele julgado. Portanto, certamente tirava o sono de muita gente com culpa no cartório. Em maio do ano passado, vieram a público áudios de gravações de conversas telefônicas entre o ex-ministro Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado . Nos diálogos, eles comentam a necessidade de uma aproximação com o ministro do STF, mas em seguida ponderam que o jurista era um “cara fechado”.

Acrescente-se a isso o fato de que o ministro iria começar em fevereiro a examinar os depoimentos prestados por delatores da Odebrecht que citam dezenas de políticos de grande relevância, sejam eles ligados ao governo ou à oposição. Em maio de 2016, Francisco Zavascki, filho do ministro, publicou no Facebook que sua família estaria recebendo ameaças.

Polícia Federal responde

Por meio de sua assessoria de imprensa, a PF (Polícia Federal) evitou fazer comentários sobre o alto número de visualizações da foto do avião acidentado.

“Com relação ao caso do acidente aéreo de Teori Zavascki, temos somente a informação de que a PF abriu o inquérito para investigação. Não temos informações sobre a busca pela foto no site”, diz o texto. A corporação afirma também que “não fornece informações sobre as investigações, em especial neste caso que está sob sigilo”.

SHARE