Acesso de presos a celulares se dá por “falhas e corrupção”, reconhece SSP

O secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, foi entrevistado por José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta segunda-feira (16), e respondeu a questionamentos sobre o uso de celulares dentro das unidades prisionais do estado.

Na pasta desde 2011, Barbosa reconheceu que os detentos têm acesso aos telefones por “falha nas revistas” e “corrupção de servidores públicos, terceirizados”. “É uma coisa que a gente tem tentado identificar para saber exatamente como esses aparelhos entram [nos presídios]”, disse.

Na ocasião, o secretário voltou a cobrar uma medida do ministério da Justiça para que as operadoras limitem o sinal em penitenciárias, já que o custo com aparelhos bloqueadores é muito alto. “Não seria da responsabilidade do estado adquirir tecnologias de milhões para barrar o sinal.

Por que a empresa de telefonia, ao ter o serviço concedido [pelo estado] não pode fazer isso [o bloqueio]? Hoje é a questão do acesso a dados. Toda a movimentação de presos está sendo praticada por aplicativos e redes sociais. Poderia ser facilmente resolvido, dando a responsabilidade as operadoras, mas preferem manter o ganho econômico e prejudicar a segurança do estado”, concluiu.

SHARE